Kafta na churrasqueira

Aproveitamos o feriado acompanhado de amigos queridos em casa para estrear a mini-churrasqueira que acabamos de ganhar da Rê! Além de lindinha – a churrasqueira parece o sputnik – ela dá aquele gostinho defumado nas coisas. Essa kafta ficou muito mais gostosa do que a que tínhamos feito anteriormente no forno por dois motivos: foi assada na brasa e temperada com uma mistura de tempero para kibes da marca Zeenny importada do Líbano (compramos num supermercado aqui em BH). Molhinho de tomates frescos e sobra de um arroz indiano do restaurante da noite anterior.

Para a Kafta:

– 300g de patinho moído;

– 300g de lombo de porco moído;

– algumas colheres de pimenta para kibe;

sal

salsa

coentro

– hortelã

– 1 cebola picada em cubinhos

– 4 dentes de alho

– azeite

É a coisa mais simples: pique os ingredientes e misture tudo numa vasilha. Coloque azeite com vontade, pois ele vai ajudar a dar a liga da massa. É preciso sovar por alguns minutos (5  a 10) com as mãos. Depois é só montar os discos com a palma das mãos (acho mais fácil e mais interessante do que a kafta em forma de cocô).

Acendemos o fogo no Sputnik e espalhamos o carvão. Para assar é como fazer um bife. Deixe selar de um lado e só então vire. Assim você preserva o caldinho da carne dentro das kaftas.

Para o molho:

óleo de milho

– 1 cebola pequena bem picadinha

– 4 tomates em cubos

– uma pitada de açúcar

– 1 1/2 colher de sopa de Xarope de romã

sal

Refogue a cebola com um pouco de óleo, coloque uma pitada de açúcar, quando a cebola estiver dourada coloque o tomate. Misture até o tomate amolecer. Acrescente o sal e o xarope de romã. Coloque um pouco de água e deixe o tomate cozinhando para apurar o sabor. Se a água secar, coloque um pouco mais. O molho não é denso, os tomates ficam moles, mas ainda em pedaços.

Anúncios

8 comentários em “Kafta na churrasqueira

  1. Hoje fiz este kafta herege, sucesso total, todos gostaram. O molho é muito especial.
    Da próxima vez farei no espetinho, cilíndrico. Jamais em forma de cocô, não troco insumos por excrementos nem nas palavras, aprenda, Pri.

  2. Espetinho cilíndrico, marrom, com superfície irregular = forma de cocô. A comparação é milenar.

  3. A comparação pode ser milenar e eu, que não sou nem centenária, faço questão de desconhecê-la para não estragar o prazer de saborear o kafta.
    O temperinho de Alah é o segredo do prato, encontrei da mesma marca que vocês indicaram.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s