Ravioli azul com molho de tomate fresco

Isso mesmo: AZUL. Azul-turquesa para ser mais específico.

Essa foi a estreia do nosso cilindro de macarrão, presente de casamento do Paulada, mas que só chegou aqui em BH agora (circunstâncias da vida). Foi também a estreia oficial da nova cozinha, depois da casa toda montada, sem mais furos por fazer na parede (a não ser, talvez, por uns quadros).

E por que fazer um ravioli na estreia do cilindro (lembrando que nenhum de nós tinha mexido com isso antes)? Não sei. Me pergunto isso até agora. Se tivéssemos optado por um talharim simples o trabalho tinha terminado pelo menos 1 hora mais cedo e seria menores as dores nas costas. Antes de preparar o prato (cozinhar a massa e fazer o molho), a gente resolveu tomar uma taça de vinho e descansar em posição horizontal por cerca de 20 minutos, além de fazer alguns alongamentos.

Massa

Enfim, seguimos a receita tradicional para a massa: 1 ovo para cada 100 g de farinha de trigo branca (usamos 300 g). Para massa longa, dizem que a porção ideal é de 100 g por pessoa. Dado o nosso resultado, eu diria que, para massas recheadas, o ideal é 75 g por pessoa, já que vai ter recheio. Dizem que, para quantidades maiores, a partir do 3 ou 4 ovo, ao invés de colocá-lo inteiro, coloque só 1 gema.

Agora vem o azul: anilina. Batemos a anilina junto com os ovos, porque você precisa colocar os ovos batidos. Acho que usamos uns 5 ou 10 mL. A parada é bem forte. Era um azul mais forte, mas em contato com a gema, deu uma esverdeada e assumiu a tonalidade turquesa. Ficou bem bacana.

Além dos ovos e da farinha, colocamos um pouco de sal e azeite. Não sovamos a massa na mão. Temos também uma máquina de fazer pão (bem bacana, por sinal, presente da Clarissa) que tem um modo massa. Ela bate a massa e deixa descansar, processo que dura uma hora e meia. No início, colocamos um pouco de água até que a farinha pegou toda na massa. Coloque aos poucos, até dar o ponto. A massa precisa ficar unida, como uma bola.

Depois de pronta, é preciso fazer o processo de cilindrar a massa até ela ficar bem firme. Nosso cilindro tem 7 espessuras (sendo 7 a mais espessa). Fizemos algumas folhas com espessura 3 e outras com espessura 4. Para o ravioli, espessura 3 já é fino demais. Eles começara a abrir na hora de cozinhar. 4 ficou perfeito, mas eu acho que eu já comi massas recheadas com espessura equivalente à 5.

Recheio

Para o recheio, pegamos um pacote de ricota Joselito (fantástico), que é mais um queijo minas temperado com ervas finas. Não me lembro ao certo a medida (uns 250 g), mas também sobrou recheio pra burro. Piquei 5 fatias de presunto em pedaços minúsculos e temperamos tudo com manjericão, salsa (ambos secos), noz-moscada, pimenta-do-reino e mais um pouco de sal. Precisa de bastante azeite para dar liga. Por fim, farinha-de-rosca. O recheio precisa ficar seco, do contrário ele vai amolecer e furar a massa, portanto, coloque farinha-de-rosca de modo que ela absorva os líquidos da mistura, mas sem que a proporção de farinha supere o recheio.

Depois é o processo de colocar o recheio e fechar a massa. A dica é passar água com o dedo na área que tem que fechar a massa para fazer uma espécie de cola. E também colocar farinha sobre as camadas de ravioli (depois de fechados) porque se não gruda tudo.

Molho

Esse molho é uma delícia e vai muito bem com massas recheadas. Para duas pessoas usamos 5 tomates italianos. Dependendo do grau de maturidade dos tomates você tem sabores diferentes. Gosto tanto desse molho com tomates mais verdes, quanto mais maduros. Os mais verdes tendem a ser mais ácidos.

O processo é bater os tomates no liquidificador, mas eu tiro as sementes antes. Eu ainda as coloco em um coador para por aproveitar o suco que fica preso a elas. É bom picar os tomates bem para facilitar. Coloque o tomate bem batido em uma panela e acrescente sal, azeite com vontade, salsa e pimenta-do-reino. Deixe a panela destampada e cozinhe desde o início em fogo baixo. Eu começo a cozinhar o molho junto com a água do macarrão. Assim, lá pelas tantas ele começa a ferver e vou mexendo de vez em quando, enquanto espero dar o ponto do macarrão.

Depois é só servir tudo sem esquecer do bom e velho parmesão.

Anúncios

6 comentários em “Ravioli azul com molho de tomate fresco

  1. A cor é inusitada mas o prato ficou muito bonito.
    As massas recheadas são as mais demoradas de preparar. A lasanha é a mais simples se o seu cilindro não cortar a massa.

  2. Que bunito!! Paguei pau… Queria mesmo é ter comido… 🙂
    Uma coisa nada a ver agora… vc escreveu “estreia” sem acento, segundo manda a reforma ortográfica e eu li “estrela” todas as vezes, por mais que tenha notado o erro na primeira vez!

  3. Pois é… tá pensando o quê? Tô atento às normas da nova ortografia.

  4. Pingback: Bastilla «

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s